Cinta no pós-parto...Usar ou não?!


O uso de “bandagem abdominal” é uma prática tradicional em muitas partes do mundo, que tem passado de geração em geração. O uso de suporte na gravidez e no pós-parto imediato pode ser algo muito bom e completamente indicado, mas deve ser uma decisão feita ouvindo o que o corpo da mamã nos diz.

Os músculos quando têm apoio externo permanente para a sua função de estabilizar o abdómen, não precisam de trabalhar activamente, e assim vão permanecer desactivados nas actividades diárias e ficam mais “fracos”. O uso constante da cinta para uma recém-mamã, de um ponto de vista geral é desaconselhado, visto que ao colocar a cinta aumentamos a pressão dentro do abdómen (artificialmente) e dificultamos a capacidade de se conectar aos seus músculos abdominais.

Podemos considerar o uso de uma cinta, numa cesariana em que temos uma ferida cirúrgica em fase inicial de cicatrização, quando num pós-parto a mamã refere dor na bacia, na sinfise púbica ou articulações sacroilíacas. Este sintoma revela que os ligamentos pélvicos não são competente a estabilizar a estrutura óssea nesta fase imediata, por alterações hormonais e/ou alongamento excessivo durante o parto, e pode ser indicado numa fase inicial o uso de suporte.

Pode ser bom o uso de suporte selectivo quando a mamã tem uma parede abdominal, em que a linha Alba está muito laxa e os músculos com muita dificuldade em se conectar com o movimento, e se tem três filhos, e tem que fazer muitas actividades, tem que fazer esforços, pode ser bom dar algum apoio. Mas por outro lado estamos a aumentar a pressão sobre o pavimento pélvico, região que também está fragilizada e a recuperar após um parto vaginal.

O uso de cinta deve ser aconselhado individualmente, e após avaliação da função do abdómen e pavimento pélvico.

Com a cinta está a melhorar artificialmente a pressão intrabdominal e a substituir a função dos músculos abdominais que estão a recuperar, e assim sente mais estabilidade. Mas deve ser um recurso provisório, deve procurar reeducar os músculos e realizar exercícios específicos para construir tecido conectivo mais denso.

A cinta não cura, não deve ser uma opção a longo prazo!! pois quando tiramos este suporte, vamos ter mais instabilidade, músculos que não são funcionais, e um tecido conectivo pouco adaptado às tensões do movimento, resultando numa barriga mais proeminente, e em alguns casos dor no imediato ou a longo prazo.


FISIOHANDME

Praceta José Regio, nº4 | Setúbal

 

fisiohandme@gmail.com 

 

 934843072

  • Fisiohandme Instagram
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - Grey Circle