Pós-parto sem pressas...desabafos de uma Fisioterapeuta


O processo de se tornar mãe é avassalador, transformador...magnífico também...descobri que temos que nos adaptar a todo o instante...tudo começa na gravidez! Nada corre como esperado, fazemos planos que muitas vezes de nada servem...mas as experiências que vivenciamos vão fazendo de nós aquilo que somos e no que nos tornamos...

A minha segunda gravidez foi muito diferente da primeira. O meu corpo não fez o que eu esperava. Obrigou-me a parar, estar de repouso...eu não sabia como o fazer!

Esperei o parto. Esse momento sobre o qual todas as mulheres grávidas especulam... hoje vejo o parto como se fosse um muro na nossa vida quase linear, um muro que vamos ter que ultrapassar e não sabemos como. Só sabemos que não vamos permanecer iguais depois desse momento, vamos ter que nos socorrer de todas as nossas ferramentas que fomos acumulando por experiência de vida, vamos ter que por tudo o que temos, dar tudo o que somos nesse momento tão poderoso! É talvez o momento mais forte e intenso pelo qual passamos durante toda a nossa vida...nada pode ficar igual!...o que está para lá do muro? ninguém sabe! se as minhas próprias experiências podem ser tão diferentes de um filho para o outro, como posso contar que as verdades de outras mulheres, sejam a minha verdade...

Após o parto do Diogo (o meu filho mais novo) senti-me partida ao meio!! É como consigo descrever este pós-parto que tanto me transformou...foi esta vivência que também me revelou a minha missão enquanto profissional...

Fui muito confiante para o parto, sempre confiei que o corpo de uma mulher sabe parir, nunca tive medo, por isso não procurei muita informação, depositei toda a minha opção de escolha na equipe que me seguia e no meu instinto de mulher que sabe parir.

Foi induzido, sem epidural, foi para lá de intenso. Fique partida ao meio...a minha pélvis ficou dividida, fui atropelada por esta experiência. Doeu, doeu muito, não conseguia virar na cama, era uma dor alucinante, a minha pélvis estava literalmente dividida, não conseguia sentar sem escorrer uma lágrima, andar e cuidar do meu bebé recém-nascido era uma tarefa muito difícil. Também ele precisava muito de mim, foi difícil para ele também!

O tempo passou, e o corpo foi cicatrizando. Mas tinha pressa! Queria voltar a sentir-me no meu corpo de novo. Queria sentir-me unida, confortável em mim, sem dores, forte como sempre me senti!

Percebi pela minha experiência que é preciso cuidar do corpo da mamã com muito respeito, ter mais calma, mais compaixão por um corpo que deu tudo o que tinha...é um período muito delicado, não podemos ter pressa!!...o que fazemos nesta fase da vida tem um impacto profundo a nível fisico em nós mulheres, para toda a vida!

Foi esta experiência de pós-parto que me levou a estudar profundamente o corpo da mulher, para ter aquilo que realmente o meu corpo precisava, porque o meu corpo gritava socorro!!!

Comecei o meu processo de especialização em reabilitação pélvica, para conseguir compreender a forma de curar o meu corpo... fiquei muito zangada comigo por não estar mais informada, por ter deixado passar a minha oportunidade de fazer as escolhas mais alinhadas comigo e para o meu bem-estar...por não estar a respeitar esta fase tão importante da minha vida...Mas foi como foi e aprendi! e serviu também para conseguir ajudar outras mulheres com muito mais entendimento das suas sensações...

Cada parto é uma transformação, e todas as experiências da vida não são por acaso...fazem-nos sentir, pensar, refazer, redefinir, fazem emergir em nós novos significados. Descobri que sou uma cuidadora de mulheres!!! Agora sei que tinha que passar por esta experiência desta forma, com um impacto tão profundo no meu corpo, esta experiência que passou por mim e realmente me atropelou!

Agora sei o que é sentir dores no perineo, na bacia...

Sei o que é não reconhecer “a minha vagina” por estar fraca e adormecida...

Sei o que é sentir a parede abdominal sem controlo, distendida adormecida também...

Sei o que é o pós-parto num corpo dorido, exausto...

Sei o que não se deve fazer,

Sei que não se deve ter pressa!

Sei que tudo pode passar com o estímulo certo, na altura certa!

Sei que nunca é cedo nem tarde para cuidar...

Sei que só queremos de volta a sensação de estar em "casa"...Para ser-mos livres de gozar a vida...agora com tanta coisa nova e um bebé para mimar...

O corpo, esse não pode voltar a ser o mesmo, já foi habitado! Aliás não queremos que seja o mesmo, tem mais uma história para contar...

Dado a minha experiência, e o que confirmo diariamente na minha prática clínica, contínuo a achar de extrema importância, urgente mesmo, que as mulheres tenham consciência de como devem nutrir o seu valioso corpo depois da árdua tarefa de gerar um ser...Que ganhem a noção de que é a tarefa física mais exigente que um ser humano pode realizar. Devemos restaurar amorosamente o nosso corpo.

Devemos desligar das exigências da pressão da sociedade, para voltar a ter uma barriga lisa e um corpo magro e firme bem depressa! Será que é o mais importante, a aparência! Será que vale mesmo a pena, ter de lidar mais tarde com as consequências, de realizar agora exercício com carga excessiva para um corpo que ainda procura equilíbrio. Um corpo que ainda reclama respeito, carinho, compaixão e tempo...

Volto a dizer devemos restaurar amorosamente o nosso corpo.

Com carinho,

da vossa fisioterapeuta.


0 visualização

FISIOHANDME

Praceta José Regio, nº4 | Setúbal

 

fisiohandme@gmail.com 

 

 934843072

  • Fisiohandme Instagram
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - Grey Circle