Diastase Abdominal no Pós-parto


A barriguinha de grávida pode ficar muito tempo depois do parto, podemos estar magras mas aquela proeminência não nos larga!!! Parece que quanto mais abdominais faz pior fica!! Pode mesmo não ser gordura, é certamente uma parede abdominal que não ficou a funcionar bem depois da gravidez... É uma situação com repercussões estéticas e funcionais, perceba porquê...

A fisiologia do corpo da mulher permite o alongamento da fascia abdominal, a linha Alba (é o tecido conectivo que liga os dois lados da parede abdominal), e consequente separação dos músculos rectos abdominais. Fisiológicamente acontece desta forma para o corpo da mulher ser capaz de se adaptar às mudanças inerentes ao desenvolvimento da gravidez. A diastase, ou separação abdominal, é normal após a qualquer gravidez, é um processo fisiológico natural.

A diastase só constitui um problema quando este tecido não consegue gerar tensão suficiente gerir a pressão intrabdominal, e manter o conteúdo visceral estabilizado dentro do abdómen, principalmente durante os movimentos do dia-a-dia. Se não tratada pode manter-se mesmo anos após o parto, e por vezes dar origem a hérnia umbilical, dor na lombar e disfunção pélvica.

Pode ocorrer uma separação exagerada dos músculos abdominais, que leva a uma incapacidade deste tecido conectivo de gerar a tensão adequada e estabilidade, ou seja a sua capacidade biomecânica de suportar eficazmente as pressões geradas dentro do abdómen, e acção e coordenação dos músculos abdominais fica comprometida. Esta falta de protecção e estabilidade afectam o corpo estética e funcionalmente.

Como posso identificar que tenho uma diastase patológica?

Esta separação reflecte-se numa proeminência abdominal, um "alto" entre os músculos abdominais por cima do umbigo, principalmente nos movimentos de passar da posição de deitada para sentada, ou quando a mamã está em pé, quando se movimenta ou faz esforços físicos.

Uma forma de testar é, deitando-se de barriga para cima com os joelhos dobrados, colocar os dedos entre os abdominais logo acima do umbigo e levantar os ombros do chão (fazer um movimento clássico de abdominais), e sentir se existe um espaço entre os seus abdominais, ou se os seus dedos são empurrados para cima e sai uma bolsa no meio da sua barriga. Este tecido tem pouca tensão, é mole. Este é um sinal que o seu abdominal não está a funcionar correctamente.

Como tratar?

Não existe uma intervenção padrão, nem um exercício mágico. Tem que se avaliar cada mamã para perceber no seu corpo o que está a contribuir para manter a diastase. , deve ser uma abordagem integral e completamente individualizada.

É uma situação complexa. Não se cura apenas com um simples exercício. Em termos de função, a parede abdominal não actua sozinha. Trabalha em conjunto com o pavimento pélvico, o diafragma respiratório e os músculos vertebrais mais profundos. Temos que reeducar esta unidade funcional. Para obter resultados a longo prazo devemos reeducar o todo o sistema, através da combinação de um conjunto de cuidados e exercícios específicos que vão evoluindo conforme a tolerância do tecido fascial ao movimento vai melhorando. Temos que realizar o movimento certo, com a intensidade certa, na altura certa para aquela mulher em específico.

Activar e reeducar o core, todo este sistema de estabilidade pode e deve ser realizado no pós-parto imediato, para prevenir situações futuras e voltar com segurança ao exercício fisico. Mas também é possível mesmo anos após o parto, treinar estas estruturas para melhorar a estabilidade do core e diminuir a separação entre os rectos abdominais.


FISIOHANDME

Praceta José Regio, nº4 | Setúbal

 

fisiohandme@gmail.com 

 

 934843072

  • Fisiohandme Instagram
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - Grey Circle